Afinal, o que é Borderline? Entenda o Transtorno de Personalidade Limítrofe

Você provavelmente já ouviu falar sobre Borderline, principalmente se chegou até aqui por meio das nossas redes sociais. Entretanto, essa condição é relativamente ‘nova’ e muita gente não compreende o que de fato ela é.

Mas afinal, o que é Borderline? Também conhecida como Transtorno de Personalidade Limítrofe (TPL) ou Transtorno de Personalidade Borderline (TPB), essa condição de saúde mental se caracteriza pela instabilidade com as relações humanas, além é claro, consigo mesmo.

A pessoa com o Transtorno Borderline demonstra sintomas de instabilidade, medo de abandono, agressividade e visão distorcida dos outros e de si mesma. Embora possam estar correlacionadas, a Borderline é uma doença diferente da Depressão.

A doença é tida como comum, chegando a afetar por entre 1,6 e 5,9% da população mundial. O problema é que assim como a maioria das doenças psiquiátricas, boa parte dos pacientes não foram diagnosticados.

O transtorno costuma aparecer mais fortemente entre o fim da adolescência e o início da vida adulta. Ele é mais comum em mulheres.

Uma pessoa famosa com o Transtorno de Personalidade Borderline foi a Amy Winehouse.

O que causa a Borderline?

O TPL possui diversas causas que vão desde uma predisposição genética até fatores ambientais. No caso da predisposição, a doença é cerca de 5 vezes mais comum em pessoas cujos pais tenham o transtorno.

Diferentemente dessa causa, quando nem os pais e nem os filhos possuem ‘culpa’ de ter o transtorno, há outra causa muito comum que possibilita o desenvolvimento da Borderline.

A questão familiar

Boa parte dos diagnosticados desenvolve o transtorno por causa do desenvolvimento quando criança e adolescente. Na maioria das vezes, um ambiente familiar instável é a causa da enfermidade.

Os ‘broders’ tendem a possuir um histórico familiar de negligência, enxergar o casamento dos pais como algo conflituoso, e ter passado por abusos físicos, psicológicos ou sexuais.

Embora seja mais comum, não quer dizer que para desenvolver o TPB a pessoa precisa ter problemas familiares. Há diagnosticados sem qualquer tipo de problemas ou traumas no campo familiar.

Crianças e adolescente que convivem com parentes que possuem algum tipo de transtorno psiquiátrico também tendem a ter mais chance de desenvolver a Borderline. Da mesma forma acontece com pessoas submetidas a uma criação autoritária por parte dos pais.

4 comentários

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s